Adufscar

Sindicato dos Docentes em Instituições Federais de Ensino Superior dos Municípios de São Carlos, Araras e Sorocaba

Publicado em 31.07.2017

XIII ENCONTRO NACIONAL DO PROIFES – FEDERAÇÃO: SALVEMOS A EDUCAÇÃO NO BRASIL

1501752482_salvador.jpg

Beirando a comoção, o Prof. José Antonio Salvador (UFSCar) brindou o plenário no último dia (29) do XIII Encontro Nacional do PROIFES – Federação com um discurso apaixonado, carregado de esperança, mas, ao mesmo tempo, repleto de revolta contra as medidas implementadas pelo atual governo contra a educação no nosso país, um improviso que foi amplamente aplaudido.

O improviso de José Antonio Salvador teve como base a defesa intransigente da Educação, Ciência e Tecnologia, temas que foram destaques no Encontro, atendendo a que se está perante uma série vasta de problemas na educação e que vêm sendo paulatinamente acumulados, principalmente em decorrência do corte de verbas que irão, certamente, agravar muito mais o cenário nacional.

Para Jose Antonio Salvador “(...) o índice de analfabetos funcionais no nosso país é muito grande, com tendência a aumentar, a par de professores que, na sua maioria, estão sem condições mínimas para dar uma boa formação aos jovens. Os alunos estão saindo das escolas sem o mínimo de condições e de capacidades suficientes para decidir o que quer que seja, principalmente em termos políticos, sem a mínima noção de quem deverão escolher para os representar”.

Para Jose Antonio Salvador, torna-se imperativo avaliar e discutir essas questões e lutar fortemente contra os malefícios, os atentados que este governo está impondo à educação nacional. “Como diria Paulo Freire "sem educação não existe condição para ter uma situação confortável, nem tem condição para ter uma sociedade mais justa". Confrontamo-nos com alunos violentos nas salas de aulas, os professores estão se afastando de suas obrigações por questões de saúde, muitas vezes em estados profundos de depressão. Temos que ter escolas bem estruturadas, com pedagogos e psicólogos que forneçam a devida orientação. É fato que muitos professores não têm formação para trabalhar com determinados tipos de alunos. Então, a única fórmula é investir pesado nas escolas, na educação, nos conselhos diretivos e nas direções escolares, um trabalho árduo que deverá ser feito para que se altere o atual panorama e se motive alunos e professores”.

(Esta intervenção sobre Educação foi acrescentada ao documento apresentado no plenário que defende a Ciência, Tecnologia e Extensão, tendo sido aprovada por unanimidade).